quinta-feira, 15 de outubro de 2009

2ª Gincana de Integração CTCC Albano Franco
















Venho novamente aqui para parabenizar a todos que fizeram da 2ª Gincana de integração do SENAI CTCC Albano Franco um verdadeiro sucesso, nossos objetivos foram superados, o resultado foi maravilhoso e o fruto... hummmmmmmmm esse foi ... posso dizer delicioso!!!!





Vcs alunos e professores traçaram um belo caminho de uma aprendizagem significativa, utilizaram de vários metodos, tecnologias e criatividade para que o que foi solicitado acontecesse, por isso hj me encontro extremamente orgulhosa de tds vcs... meus verdadeiro e emocionado parabénsssssssssssssssssssssssssssssssssss










video

terça-feira, 29 de setembro de 2009

2ª Gincana de Integração do CTCC


Comprometido com a formação integral de seus alunos o Centro de Tecnologia do Couro e do Calçado CTCC Albano Franco, realizará no próximo dia 09 de Outubro de 2009 de 13:00 às 17:00h00mim a 2º Gincana de Integração entre alunos e professores que tem como objetivo além de realizar a integração entre os membros participantes promover um aprendizado significativo com atividades lúdicas relacionadas às questões ambientais, paz e cidadania.

No evento deste ano a organização apostou na realização de uma prova onde os alunos produzirão um vídeo referente ao meio ambiente, trazendo novamente a inovação tecnológica a favor da aprendizagem.

Outras provas também farão toda a diferença neste evento como: arrecadação de garrafas pet's, arrecadação de livros para a implantação de uma blibioteca comunitáriae arrecadação de alimentos não perecíveis.

Para mais informações sobre este evento é só acessar o linck abaixo ou entrar em contado pelo tel.: (83)3182 5511

http://www.fiepb.com.br/noticias/2009/09/29/2_gincana_de_integracao_do_ctcc

Iris Naque :)

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Celulares


O Fantástico exibiu no ultimo domingo uma reportagem que falava do mal uso dos celulares nas salas de aulas das escolas brasileiras. Onde os educandos não só estão usando os celulares para falar em sala, mais também para colar, será que este é o destino que nós educadores queremos dar a esta tecnologia que pode proporcionar muito mais ao aprendizado significativo destes alunos?Confira a reportagem completa no linck a baixo:




terça-feira, 15 de setembro de 2009

Cursos de EaD




Nos últimos tempos a correria do dia-a-dia vem fazendo com que cada vez mais o nosso tempo de dedicação aos estudos e a nossa capacitação venha se tornando cada vez menor, mas com a expansão do uso da internet como instrumento de aquisição de novos aprendizados e conhecimentos, várias instituições sérias e compromissadas estão investindo em cursos de Educação á Distância - EaD, que traz a comodidade, repidez e aprendizado flexível para seus navegadores, além da garantia da certificação.

Portanto não percam tempo!!!! vale a pena conferir e se matricular...

www.senai.br/ead/transversais
Unidade Centro de Tecnologia do Couro e do Calçado Albano Franco- CTCC

Iris Naque :)


segunda-feira, 14 de setembro de 2009

I Encontro Regional NODO Paraíba - A Paraíba em Rede conectando pessoas através da Educação.

Em um clima de descontração e compromisso com a Educação o I Encontro Regional Nodo Paraíba aconteceu no ultimo sábado dia 12/09 no auditório do CTCC Albano Franco em Campina Grande, o mesmo contou ainda com a participação dos representantes da VIVO Luis Fernando Guggenberg - criador da Rede VIVO Educação, Augusto de Franco - escritor e professor, que com simplicidade e saber sem igual falou sobre Redes Sociais e AEL - Arranjos Educativos Locais e com Eduardo Valente - Representante de comunicação da VIVO Nordeste.



E foi com entusiasmo e alegria que eu e minha querida e amiga Lúcia Serafim topamos colaborar e organizar este que foi e será o primeiro de muitos do Nodo Paraíba, que hoje está formado e conestado com pessoas que realmente vieram para somar e fazer a grande diferença.
Representantes da rede de comunicação também se fizeram presentes e para conferir:
http://www.diariodaborborema.com.br/2009/09/14/cotidiano1_0.php





sábado, 12 de setembro de 2009

Transmissão Qki.

Boa Tarde queridos e queridas hoje tivemos a realização do 1º Encontro Regional Nodo Paraíba aqui em Campina Grande, da Rede VIVO EDUCAÇÃO com a palestra do Profº Augusto de Franco que tratou de Redes Socias e Aranjos Educativos Locais. Podemos então num clima muito prazeiroso de aprendizagem mutua poder compartilhar novos conhecimentos sobre os devidos temas e propor para os participantes a criação de projetos de AEL o evento também teve transmissão ao vivo pelo Qik onde você pode conferir tudo o que aconteceu.
http://qik.com/vivoeduca

Iris Naque

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Brasil - Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica


Desde sua primeira edição, em 2001, o Fórum Mundial de Educação (FME) coloca o direito à educação entre as prioridades da agenda internacional. Em 2009, para comemorar os 100 anos da Rede Federal, o FME ganha versão especial sobre a educação profissional e tecnológica.O Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica tera lugar no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Brasília-DF, de 23 a 27 de novembro de 2009.Venha debater propostas e fazer intercâmbio de experiências com professores, estudantes, gestores e formadores de opinião do mundo inteiro. Essa importante discussão pode determinar o futuro profissional de milhares de pessoas.Eixos temáticos:
I. Educação, Trabalho e Desenvolvimento Sustentável
II. Educação, Culturas e Integração
III. Educação, Ética, Inclusão e Diversidade

INSTITUTO VIVO EDUCAÇÃO... conectando pessoas pela educação


é com uma alegria imensa que irei fazer parte e compartilhar experiências com os conectandos da REDE VIVO Nodo Paraiba presencialmente no 1º Encontro Regional, foi através de um convite de Lúcia Serafim que ingressei nesta interessante rede que promove a conexão de pessoas de onde que que estejam desde que compartilhem das mesmas idéiase projetos em prol da educação através das novas tecnologias e dos novos métodos de promover uma educação de qualidade.



Sendo assim espero poder contar com os paraibanos que buscam este caminho para sua aprendizagem pessoal e comunitária de seus educandos!!!!!

Irís Naque


Horário: 12 setembro 2009 de 8:00 a 17horas; Local: SENAI - CTCC Albano Franco, Rua: Rua Luiz Motta, 200 - BodocongóCidade: Campina Grande/PBPhone: (83)3182-5511Tipo de evento: encontro regional, mediado pelas colaboradoras por: Irisvânia Emanuelly N. Freitas(CTCC)/Maria Lúcia Serafim(UEPB)
Na programação teremos a fala sobre Redes Sociais e
AEL - Arranjos Educativos Locais com Consultor da Vivo: Augusto Franco(RJ) e a apresença do criador da rede Luis Fernando Guggenberger(SP) http://vivoeduca.ning.com/

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Video da II Semana da Consciência Ambiental

Neste vídeo fizemos um pequeno rezumo dos melhores momentos do evento que com certeza ficará marcado, pois nele pudemos ver e sentir como ocorre de fato uma aprendizagem significativa onde os docentes conseguiram de fato, fazer trasferências dos conteúdos abordados para sua realidade de vida, fizeram síntese e transmitiram com suas próprias palavras e enrriqueceram seus conhecimentos.

Iris


video

II Semana da Consciência Ambiental

Neste ano de 2009 a proposta das docentes do Setor de Meio Ambiente Mª de Fátima Vieira e Mª Angélica Miná foi de promover um work shoop sobre eixos temáticos que abordavam questões ambientais e em parceiria com o Setor de Educação esta idéia foi posta em prática. E vimos com maior vigor alunos de Educação Profissional nas modalidades de qualificação e apredizagem industrial do segmento calçadista eleborarem projetos maravilhosos, trocando conhecimentos, buscando seu próprio ritmo de aprendizagem e melhor conseguindo atingir os objetivos traçados.

Foi um exemplo de aprendizado e um show de modelo de relação professor x aluno em busca de uma aprendizagem significativa para ambos, em meio de tantas atividades, ambientes educacionais e melhor em de tantas diferenças que fizeram deste Projeto Evento um Sucesso.






quarta-feira, 1 de julho de 2009

video
Vamos repensar a AVALIAÇÃOOOOOOOOO
Está na hora de lutarmos por uma EDUCAÇÃO de qualidade para os nossos filhos e alunos...
É tempo dos direitos à Educação chegar igualitáriamente aos nossos discentes!!!!!

terça-feira, 30 de junho de 2009




CONCEITUAÇÃO

O que é Bullying?

O termo BULLYING compreende todas as formas de atitudes agressivas, intencionais e repetidas, que ocorrem sem motivação evidente, adotadas por um ou mais estudantes contra outro(s), causando dor e angústia, e executadas dentro de uma relação desigual de poder. Portanto, os atos repetidos entre iguais (estudantes) e o desequilíbrio de poder são as características essenciais, que tornam possível a intimidação da vítima.

Por não existir uma palavra na língua portuguesa capaz de expressar todas as situações de BULLYING possíveis, o quadro, a seguir, relaciona algumas ações que podem estar presentes:

Colocar apelidos
Ofender
Zoar
Gozar
Encarnar
Sacanear
Humilhar
Fazer sofrer
Discriminar
Excluir
Isolar
Ignorar
Intimidar
Perseguir
Assediar
Aterrorizar
Amedrontar
Tiranizar
Dominar

Agredir
Bater
Chutar
Empurrar
Ferir
Roubar
Quebrar pertences


E onde o Bullying ocorre?

O BULLYING é um problema mundial, sendo encontrado em toda e qualquer escola, não estando restrito a nenhum tipo específico de instituição: primária ou secundária, pública ou privada, rural ou urbana. Pode-se afirmar que as escolas que não admitem a ocorrência de BULLYING entre seus alunos, ou desconhecem o problema, ou se negam a enfrentá-lo.


De que maneira os alunos se envolvem com o Bullying?

Seja qual for a atuação de cada aluno, algumas características podem ser destacadas, como relacionadas aos papeis que venham a representar:

- alvos de Bullying - são os alunos que só sofrem BULLYING;
- alvos/autores de Bullying - são os alunos que ora sofrem, ora praticam BULLYING;
- autores de Bullying - são os alunos que só praticam BULLYING;
- testemunhas de Bullying - são os alunos que não sofrem nem praticam Bullying, mas convivem em um ambiente onde isso ocorre.

§ Os autores são, comumente, indivíduos que têm pouca empatia. Freqüentemente, pertencem a famílias desestruturadas, nas quais há pouco relacionamento afetivo entre seus membros. Seus pais exercem uma supervisão pobre sobre eles, toleram e oferecem como modelo para solucionar conflitos o comportamento agressivo ou explosivo. Admite-se que os que praticam o BULLYING têm grande probabilidade de se tornarem adultos com comportamentos anti-sociais e/ou violentos, podendo vir a adotar, inclusive, atitudes delinqüentes ou criminosas.

§ Os alvos são pessoas ou grupos que são prejudicados ou que sofrem as conseqüências dos comportamentos de outros e que não dispõem de recursos, status ou habilidade para reagir ou fazer cessar os atos danosos contra si. São, geralmente, pouco sociáveis. Um forte sentimento de insegurança os impede de solicitar ajuda. São pessoas sem esperança quanto às possibilidades de se adequarem ao grupo. A baixa auto-estima é agravada por intervenções críticas ou pela indiferença dos adultos sobre seu sofrimento. Alguns crêem ser merecedores do que lhes é imposto. Têm poucos amigos, são passivos, quietos e não reagem efetivamente aos atos de agressividade sofridos. Muitos passam a ter baixo desempenho escolar, resistem ou recusam-se a ir para a escola, chegando a simular doenças. Trocam de colégio com freqüência, ou abandonam os estudos. Há jovens que estrema depressão acabam tentando ou cometendo o suicídio.

§ As testemunhas, representadas pela grande maioria dos alunos, convivem com a violência e se calam em razão do temor de se tornarem as "próximas vítimas". Apesar de não sofrerem as agressões diretamente, muitas delas podem se sentir incomodadas com o que vêem e inseguras sobre o que fazer. Algumas reagem negativamente diante da violação de seu direito a aprender em um ambiente seguro, solidário e sem temores. Tudo isso pode influenciar negativamente sobre sua capacidade de progredir acadêmica e socialmente.


E o Bullying envolve muita gente?

A pesquisa mais extensa sobre BULLYING, realizada na Grã Bretanha, registra que 37% dos alunos do primeiro grau e 10% do segundo grau admitem ter sofrido BULLYING, pelo menos, uma vez por semana.

O levantamento realizado pela ABRAPIA, em 2002, envolvendo 5875 estudantes de 5a a 8a séries, de onze escolas localizadas no município do Rio de Janeiro, revelou que 40,5% desses alunos admitiram ter estado diretamente envolvidos em atos de Bullying, naquele ano, sendo 16,9% alvos, 10,9% alvos/autores e 12,7% autores de Bullying.

Os meninos, com uma freqüência muito maior, estão mais envolvidos com o Bullying, tanto como autores quanto como alvos. Já entre as meninas, embora com menor freqüência, o BULLYING também ocorre e se caracteriza, principalmente, como prática de exclusão ou difamação.


Quais são as conseqüências do Bullying sobre o ambiente escolar?

Quando não há intervenções efetivas contra o BULLYING, o ambiente escolar torna-se totalmente contaminado. Todas as crianças, sem exceção, são afetadas negativamente, passando a experimentar sentimentos de ansiedade e medo. Alguns alunos, que testemunham as situações de BULLYING, quando percebem que o comportamento agressivo não trás nenhuma conseqüência a quem o pratica, poderão achar por bem adotá-lo.

Alguns dos casos citados na imprensa, como o ocorrido na cidade de Taiúva, interior de São Paulo, no início de 2003, nos quais um ou mais alunos entraram armados na escola, atirando contra quem estivesse a sua frente, retratavam reações de crianças vítimas de BULLYING. Merecem destaque algumas reflexões sobre isso:

- depois de muito sofrerem, esses alunos utilizaram a arma como instrumento de "superação” do poder que os subjugava.
- seus alvos, em praticamente todos os casos, não eram os alunos que os agrediam ou intimidavam. Quando resolveram reagir, o fizeram contra todos da escola, pois todos teriam se omitido e ignorado seus sentimentos e sofrimento.

As medidas adotadas pela escola para o controle do BULLYING, se bem aplicadas e envolvendo toda a comunidade escolar, contribuirão positivamente para a formação de uma cultura de não violência na sociedade.


Quais são as conseqüências possíveis para os alvos?

As crianças que sofrem BULLYING, dependendo de suas características individuais e de suas relações com os meios em que vivem, em especial as famílias, poderão não superar, parcial ou totalmente, os traumas sofridos na escola. Poderão crescer com sentimentos negativos, especialmente com baixa auto-estima, tornando-se adultos com sérios problemas de relacionamento. Poderão assumir, também, um comportamento agressivo. Mais tarde poderão vir a sofrer ou a praticar o BULLYING no trabalho (Workplace BULLYING). Em casos extremos, alguns deles poderão tentar ou a cometer suicídio.


E para os autores?

Aqueles que praticam Bullying contra seus colega poderão levar para a vida adulta o mesmo comportamento anti-social, adotando atitudes agressivas no seio familiar (violência doméstica) ou no ambiente de trabalho.
Estudos realizados em diversos países já sinalizam para a possibilidade de que autores de Bullying na época da escola venham a se envolver, mais tarde, em atos de delinqüência ou criminosos.


E quanto às testemunhas?

As testemunhas também se vêem afetadas por esse ambiente de tensão, tornando-se inseguras e temerosas de que possam vir a se tornar as próximas vítimas.


FONTE: http://www.bullying.com.br/BConceituacao21.htm#inicio





Será que não é tempo de revertermos esta situação?????
De darmos um GRITO de Alerta em prol da Educação!!!???

quinta-feira, 25 de junho de 2009



"Se o conhecimento pode criar problemas, não é através da ignorância que podemos solucioná-los." (Isaac Asimov)

terça-feira, 12 de maio de 2009

Problemas de aprendizagem ou de Ensinagem?

O que é um problema de aprendizagem? Vamos primeiro tentar entender o significado de cada uma dessas palavras:
Problema: surgiu no século XVII e, segundo o Dicionário Aurélio, refere-se a uma questão matemática proposta para que se dê uma solução.
Aprendizagem: de acordo com o Dicionário Aurélio, trata-se do ato ou efeito de aprender.
Aprender: tomar conhecimento de algo, retê-lo na memória em conseqüência de estudo, observação, experiência, advertência, etc.
Infelizmente o que vemos em muitas escolas é o "problema de aprendizagem" sendo visto como um distúrbio, um fenômeno de causa única. O aluno que apresenta um ritmo mais lento para aprender ou que aprende de forma diferente dos demais é logo colocado em um "vidrinho de conserva" e "rotulado", e assim permanece como se tivesse uma patologia.
Para Vigotsky, na visão sócio-interacionista, os alunos deveriam ser encorajados a adquirir conceitos científicos através das atividades propostas pela escola e assim modificar sua relação cognitiva, ou seja, aprender. Esses alunos que apresentam ritmos diferentes e comportamentos tidos como problemas no aprendizado escolar, fazem parte do grupo da escola e não deveriam ser estigmatizados e muito menos isolados.
Trata-se de olhar para esse aluno muito mais para identificar as suas capacidades potenciais, do que classificá-lo dentro de algum distúrbio ou doença. O papel do educador é o de fazer intervenções a fim de possibilitar que esse educando aprenda.
Cabe ao educador olhar o processo educativo como um todo em oposição à rotulação do aluno, dar aos pais incentivo e passar a confiança aos mesmos de que a escola desenvolve um bom trabalho com seus filhos, afinal é papel da escola lidar com a formação do conhecimento.
Para finalizar, entendo que cabe à escola, e em especial ao professor, ampliar a visão sobre "problemas de aprendizagem", aprimorando sua competência e atuação. Como diz Alícia Fernández, psicopedagoga argentina, "o problema não é de aprendizagem, mas sim de ensinagem". É o professor quem deve buscar meios e alternativas criativas para que seu aluno aprenda.

******

Andréa Cristina Sória Prieto
Consultora Pedagógica em Matemática na Futurekids do Brasil
Pós-Graduada em Psicopedagogia e Direito Educacional com Graduação em Pedagogia

As viagens que a leitura proporciona

A leitura amplia os horizontes e é capaz de nos transportar para outros locais e outras épocas. É através dela que mergulhamos em um mundo de significados desconhecidos, o meio que nos proporciona descobrir sobre culturas diferentes e que nos mostra o verdadeiro poder da informação. Talvez muitos não tenham se dado conta da importância da leitura, mas é ela que nos desperta o imaginário, a criatividade e, principalmente, desenvolve o senso crítico.
Ler é um processo complexo, pois envolve a interação com outros indivíduos através das palavras. A importância da leitura não está, então, somente no ato de decodificar símbolos, mas pelo seu importante papel de construir sujeitos capazes de compreender o mundo e nele atuar enquanto cidadãos.
Trata-se de uma prática prazerosa para uns e um grande desafio para outros. Saber a importância que tem a leitura é uma questão de criar hábitos e até de aprender o real significado de ler, ou seja, desenvolver através dela a capacidade de análise, síntese e crítica. Portanto o mais importante não é a quantidade que se lê, mas de como você aproveita a informação escrita.
E é na escola que o professor deve trabalhar a importância da leitura, já que os primeiros anos escolares são os mais favoráveis para incentivar a prática nos alunos. O educador tem então um papel muito relevante, porque pode estimular o senso crítico, o raciocínio e a criatividade das crianças, destacando os prazeres e as descobertas que a leitura proporciona. Nessa fase a leitura proporciona ainda o enriquecimento do vocabulário e o aprimoramento da grafia e da dicção.

Portal Educação

Dificuldades de escrita.

Muitas são as deficiências ligadas a dificuldade na escrita. A Disgrafia é uma alteração da escrita normalmente ligada a problemas perceptivo-motores.

Sabe-se que é necessário adquirir certo desenvolvimento ao nível de:

i coordenação visuo-motora para que se possam realizar os movimentos finos e precisos que exigem o desenho gráfico das letras;
i da linguagem, para compreender o paralelismo entre o simbolismo da linguagem oral e da linguagem escrita;

i da percepção que possibilita a discriminação e a realização dos caracteres numa situação espacial determinada; cada letra dentro da palavra, das palavras na linha e noa conjunto da folha de papel, assim como o sentido direccional de cada grafismo e da escrita em geral.

A escrita disgráfica, ou seja, a dificuldade de escrita, pode observar-se através das seguintes manifestações:

O traços pouco precisos e incontrolados;
O falta de pressão com debilidade de traços;

O ou traços demasiado fortes que vinquem o papel;

O grafismos não diferenciados nem na forma nem no tamanho;

O a escrita desorganizada que se pode referir não só a irregularidades e falta de ritmo dos signos gráficos, mas também a globalidade do conjunto escrito;

O realização incorrecta de movimentos de base, especialmente em ligação com problemas de orientação espacial, etc

Abaixo você poderá aumentar seus conhecimentos relacionados à Dificuldades de escrita

Pesquisar este blog