terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Lições que todo professor gostaria que os pais soubessem

Como acalmar várias crianças ao mesmo tempo? E ensiná-los a guardar os brinquedos depois de se divertirem? O que fazer para meu filho gostar de ler? Dúvidas como essas não afligem só aos pais, mas também os educadores. Assim, no dia em que comemoramos o dia dos professores, a CRESCER pediu uma série de “lições” de diferentes escolas sobre como lidar com questões do dia a dia. Confira e inspire-se para aplicar algumas dessas dicas em casa.


Guardar os brinquedos

”Brincar é sempre gostoso! Variedade de brinquedos desenvolve a fantasia, estimula a linguagem e a criatividade, mas na hora de guardar...A criança precisa saber que recolher os brinquedos faz parte e é essa ação que vai garantir que tudo esteja no lugar no dia seguinte. Utilize estratégias lúdicas para esse momento, como o “Sr. Barrigão”: a criança carrega o maior número de brinquedos na camiseta, fazendo um barrigão e leva até o local de guardar.”

Patrícia S. Roselli, professora do 3º ano do Colégio Sidarta

Acalmar várias crianças ao mesmo tempo

“Há momentos em sala de aula que nos vemos tentando dar instruções às crianças mas elas estão tão agitadas que não somos ouvidos. Nessa hora, brincadeiras e músicas são a chave para mantê-los calmos e atentos. Basta começar a cantarolar “Atenção, concentração, ritmo...”, um conhecido jogo cantado em que todos acompanham o ritmo das palmas. As cantigas, que precisam voltar a fazer parte do repertório da infância, desligam da agitação e conectam a momentos mais tranqüilos. Na escola, convidar meninos e meninas para ouvir uma canção ou cantar restabelece a calma e a ordem no ambiente.”

Renata Praxedes, professora da Escola Castanheiras

Fazer atividades em grupo

“Na escola, as atividades geralmente são feitas em grupo. Tanto nos jogos pedagógicos como nas atividades livres e até mesmo na elaboração das rotinas básicas, há pequenas regras a serem seguidas, respeitando as capacidades de cada idade. As crianças aprendem a esperar a vez de participar de uma atividade, observam a maneira do amigo brincar e atuar na brincadeira, aprendem a respeitar o jeito de casa um resolver as questões pendentes. Nos momentos de dificuldades, o professor entra como mediador, auxiliando a solucionar as questões da forma mais democrática possível. Na verdade, tudo isso faz parte do trabalho em equipe. Assim, a melhor forma é pela convivência em grupo e com jogos, atividades coletivas com regras e objetivos em comum e muita conversa.”

Cláudia Razuk, coordenadora do Colégio Itatiaia

Gostar de ler

“Criar um ambiente rico em livros e atividades relacionadas à leitura, adquirir obras atrativas e apropriadas a cada idade, além de investimento em tempo, como sentar junto com a criança, contar histórias e explorar outras tantas possibilidades que o livro oferece. Alguns exemplos: mudar os finais das histórias, inventar novos nomes para os personagens, fazer desenhos sobre o livro, inventar dramatizações e o que mais a criatividade mandar. Passeios a livrarias também são importantes, pois assim a criança pode, também, escolher os títulos que mais a agradam.”

Professora Adelaide da Silva , professora do Maternal II do Colégio Itatiaia

“Ter uma rotina de leitura na hora de dormir aproxima pais e filhos. Contar uma história em capítulos pode deixar expectativas para o outro dia, sobre o que ainda está por vir. Assim, as crianças não vêem a hora de dormir chegar, porque com ela chega o livro, o leitor, o capítulo seguinte e a cada dia, a leitura está mais próxima do desfecho. E saiba que um texto bom para criança também é um texto bom para o adulto.”

Renata Praxedes, professora da Escola Castanheiras

Elogiar na medida certa

”Elogiar e estimular é fundamental. Porém, é importante que os comentários de estímulos sejam reais e sem exageros. Há casos em que uma criança não conseguiu realizar determinada tarefa e, mesmo assim, recebe “super elogios” como se a tarefa tivesse sido feita com êxito. É claro que a criança tem consciência e autocrítica para saber se o que fez ficou bom e correto. O estímulo será importante em um momento de dificuldade, até mesmo como forma de ajudar a criança a melhorar, mas deve ser feito de forma mais real, do tipo: “Você está melhorando um pouquinho a cada dia e estou muito feliz com isso. Vamos ver como conseguir melhorar ainda mais?” Neste momento, o importante é ajudar a criança com suas dificuldades criando meios de levá-la a vencer os desafios, sejam comportamentais, emocionais ou de aprendizagem.

Geisa do Carmo, professora do Maternal I do Colégio Itatiaia
 
Retirado da Resvista Crescer

Os primeiros dias de volta às aulas

Férias escolares! Mas elas acabam e as famílias têm de “entrar nos eixos” novamente... A volta às aulas vem muitas vezes acompanhada de muito “chororô”. E qual a melhor maneira de lidar com esse período de transição? Veja aqui algumas ações básicas para ajudar os pais na reorganização da rotina familiar e escolar.


Em casa, os pais devem...

1) Acordar as crianças mais cedo, para que possam se adequar novamente à rotina escolar. Quando necessário, ser um pouco mais rígido, sim. O importante é readaptá-los às atividades diárias, pois a criança precisa ter certeza de que suas férias acabaram.

2) Conversar bastante com a criança, procurando mostrar o quanto é bacana voltar às aulas. Falar, por exemplo, sobre as novidades que estão sendo produzidas na escola, o reencontro com os colegas e todos os pontos que a criança mais gosta.

3) Verificar se o material escolar está em ordem e ver se há algum tipo de tarefa para o retorno. Fazer isso junto com os filhos enquanto relembra as coisas legais que eles produziram ao longo do semestre anterior para que eles entrem no clima de volta às aulas.

4) De segunda à sexta, preferir comidas mais saudáveis. Já nos finais de semana, deixá-los mais à vontade em suas escolhas. “A alimentação deve acompanhar a rotina da criança”, diz Gabriele Berton Cunha Bueno, especialista em nutrição clínica infantil.
5) Permitir que as crianças menores (até 8 anos) tirem uma soneca depois do período escolar. Porque as atividades propostas em sala de aula são realmente cansativas, e é mais do que natural que o relógio biológico deles ainda não esteja regularizado.

6) “Valorizar o convívio familiar! Estar por perto, dar atenção aos filhos e mostrar que se importam com eles”, diz Carmen Alcântara, psicóloga clínica.

7) Manter a rotina de mudanças estabelecida em julho. Processos não devem ser interrompidos. Se durante as férias, a criança estava deixando a chupeta ou as fraldas, ela deve continuar com o processo naturalmente.

8) Informar à escola sobre possíveis mudanças que ocorreram nas férias na vida das crianças, como uma doença, separação, desemprego ou até a chegada de um irmãozinho. Isso poderá interferir no comportamento e no rendimento da criança na escola.

9) Fazer um balanço do ano anterior. Seu filho (e você) deu conta de fazer natação, judô, inglês e ainda as lições de casa? As notas foram mais baixas que o comum e ele se mostrou cansado? É hora de rever a rotina da família para que o próximo ano seja proveitoso e que se mantenha tempo livre para brincar.

10) Se a criança fizer birra, seja firme, mas carinhoso. Somente em casos extremos, permita no máximo que ele falte ao primeiro dia de aula. O importante é explicar que é natural sentir preguiça - porém, sem deixar de motivá-la - e expor os ganhos que ela teria se estivesse com os colegas nos primeiros dias de aula.

Na escola, os professores devem...

1) Criar atividades agradáveis e prazerosas - algo que possa ter continuidade em casa, junto dos pais.

2) Pré-estabelecer atividades para o dia seguinte. Isso transmite a idéia de “continuidade” e, deste modo, as crianças ficam estimuladas a voltar para a sala de aula.

3) Pedir para os alunos trazerem um jogo ou uma foto daquilo que fizeram nas férias, assim, sentirão vontade de contar as novidades para os colegas.

4) Preferir alimentos que tenham mais aceitação entre eles. “Como, por exemplo, um pãozinho francês com queijo, que costuma agradar a todos os paladares”, diz a nutricionista Gabriele Berton Cunha Bueno.
5) “Voltar à dinâmica das aulas aos poucos, para dar a sensação de segurança à criança”, explica Paula Bacchi, psicopedagoga e orientadora do Infantil e Jardim do Colégio Santa Maria.

Organização é tudo!

É hora de deixar tudo pronto para o início do ano letivo. Aproveite para arrumar o material com seu filho e divirtam-se:

- Peça ajuda para ele na arrumação do quarto e pergunte onde é melhor colocar cada coisa. Seu filho vai se sentir importante e vocês farão um ótimo trabalho juntos!

- Para facilitar o acesso a cada coisa, separe-as por grupos. Os livros podem ficar em pé, deixando a lombada com o título visível, os cadernos empilhados, e os materiais, como lápis de cor, canetas e giz de cera, em caixas diferentes.

- É importante ter um lugar no quarto reservado apenas para o material de estudos; assim ele não se mistura com os brinquedos.

Fonte: Juliana Faria, personal organizer e proprietária da Organize.Yru

Retirado da Revista Crescer

Coaching para crianças?

Curso de natação, de futebol, de ginástica olímpica. De línguas, como inglês e espanhol. Ou aula de canto, violão. Mais uma aula extra-curricular pode entrar nessa lista: coaching, uma das grandes ferramentas do mundo corporativo, que ajuda o profissional a encontrar as próprias habilidades e a encarar desafios. Aqui no Brasil, quem está a frente disso é a FasTracKids, uma rede que oferece cursos de coaching para crianças de 2 a 8 anos. Uma vez por semana, alunos, divididos por faixas etárias e em turmas de até 16 crianças, se reúnem para aprender sobre um tema. Enquanto a aula de educação financeira é dada, por exemplo, as crianças são estimuladas a se comunicar, ser criativas e a argumentar sobre o que é exposto. Tudo é gravado e, no fim de aula, que pode ser de uma a duas horas (varia de acordo com a idade da turma), as crianças veem o que fizeram e uma aponta o que a outra fez de bom ou não. A ideia é de que conceitos como feedback e autocrítica, antes discutidos apenas no ambiente de trabalho, sejam tratados desde a infância.


Esse curso, criado em 1998 nos Estados Unidos, está em 53 países e há três anos chegou ao Brasil. São quatro unidades no País (uma em Recife e três em São Paulo) e, até 2011, vão ser inauguradas mais 20. Psicopegagogas treinadas dão as aulas, sempre em dupla, que abrange 12 temas, como metas e lições de vida e ciências naturais. “Nosso foco é o estímulo e o processo de aprendizagem, não o conteúdo, como na escola regular”, afirma Renata Tortorelli Cunha de Lucca, proprietária de uma das unidades. Mas será que seu filho precisa de um curso que ensine, por exemplo, a lidar com a frustração ou a falar em público?
Do ponto de vista do desenvolvimento neurológico, há vantagens sim. “O técnico em coaching mostra não só como superar uma dificuldade, mas também o potencial, do que a criança é capaz. Não é só ensinar, é provocar na criança um desafio”, afirma Marta Pires Relvas, psicanalista e psicopedagoga, membro efetivo da Sociedade Brasileira de Neurociência e Comportamento. O especialista em coach, segundo Marta, aproveitaria as chamadas janelas de aprendizado, período em o cérebro está mais apto a aprender e que acontece justamente na infância. Existe uma área no nosso cérebro (chamada de límbico-emocional) que, quando estimulada, provoca a produção de um neurotransmissor específico. Ele estimula a oxigenação nas células neuronais. Todo esse processo, que é especialidade do coach, facilita o aprendizado. “Mas isso deve ser realizado de forma positiva, lúdica, em tom de brincadeira. Sem pressão”, diz.

Não existe consenso

Alguns especialistas não aprovam esse tipo de curso para crianças. Eles defendem que tudo pode ser aprendido no dia a dia, sem uma aula específica. “A própria vivência, o acolhimento dos pais, dão as condições ideias para o desenvolvimento da criança”, afirma Artur costa Neto, educador, do Sindicato dos Professores de São Paulo. Outro problema é adiantar temas tão complexos para crianças – e que vão ser cobrados daqui a muitos anos. “Você não precisa de um curso para ensinar isso. Se você é um pai ou uma mãe que observa bem seu filho, vai notar as habilidades e as dificuldades que ele, e vai poder ensiná-lo, por exemplo, que é comum perder um jogo de futebol, o que não significa que ele é ruim naquilo”, diz Áderson Luiz Costa Júnior, psicólogo, especialista em saúde e desenvolvimento humano, da Universidade de Brasília.

Há ainda a velha questão da agenda lotada de atividades extra-curriculares que, sozinha, pode ser ruim para o desenvolvimento da criança. O excesso de cursos pode causar estresse, atrapalhar o aprendizado, dentre outros. Por isso, na hora de decidir o que a criança vai ou não fazer, não esqueça de deixar (bastante) tempo para o seu filho descansar e brincar livremente.

Retirado da Resvista Crescer

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

A cobra e o vagalume

Era uma vez uma cobra que começou a perseguir um vagalume que só vivia para brilhar.

Ele fugia rápido com medo da feroz predadora e a cobra nem pensava em desistir.

Fugiu um dia e ela não desistia, dois dias e nada...

No terceiro dia, já sem forças o vagalume parou e disse à cobra:

- Posso fazer três perguntas ?

- Não costumo abrir esse precedente para ninguém mas já que vou te comer mesmo, pode perguntar...

- Pertenço a sua cadeia alimentar ?

- Não.

- Te fiz alguma coisa ?

- Não.

- Então por que você quer me comer ?

- PORQUE NÃO SUPORTO VER VOCÊ BRILHAR...

Pensem nisso e selecione as pessoas em quem confiar.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Olha Xisto e Xepa ai gente!!!



Querer é poder! Acreditar é ter a certeza de ser merecedor! Amar é proporcionar possibilidades do outro crescer!!!
Educar!? É portanto acreditar na capacidade dos nossos pequeninos, dando-lhes a oportunidade de ser do tamanho que eles sonham, de deixá-los sonhar com algo melhor, de fazer brotar neles a criatividade e espontaneidade natural de uma criança... é ser junto com eles uma criança também aproveitanto todos os momentos especiais que juntos passamos, é não deixar morrer a esperança!!!!
Agradeço a todos que fizeram conosco acontecer este projeto e em especial aos meus pequenos pois sem eles nada disto teria acontecido.

Acessórios para Xisto e Xepa




Frutas feitas com bexigas




Estas frutas foram feitas com bexigas e papel filipinho, uma é um balaio com laranjas e outro com tomates para servir de acessórios na dramatização da História Xisto e Xepa.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

As telas

Telas para entrega como produto final do nosso projeto As Frutinhas do Mundinho. Para produção dessas telas nós pesquisamos técnicas de pintura e fizemos uma pesquisa com as crianças sobre as frutas q elas mais gostavam.

A barraca da Xepa

Esta foi nossa barraca de frutas para a dramatização da história de Xisto e Xepa, ela foi feita de formica e decorada com T.N.T, as frutas são de isopor e E.V.A.

Xisto e Xepa!

Dramatização da história de Xisto e Xepa, atividade final do nosso projeto As Frutinhas do Mundinho.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Cartaz sobre as frutas

Este cartaz foi feito através da exploração das frutas que as crianças conheciam antes e depois do nosso passeio ao supermercado.
Primeiro fizemos o ANTES, trabalhando as caracteristicas das frutas, a grafia de cada uma e sua utilidade para a nossa saúde.
E depois fizemos o DEPOIS, acrescentando as frutas que elas passaram a conhecer depois do passeio e que compraram para a cestinha de frutas.

Cartaz sobre o Campo e a Cidade

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

PROJETO AS FRUTINHAS DO MUNDINHO

JUSTIFICATIVA:


Sabemos o consumo de frutas se faz muito importante para a nossa saúde, desta forma este projeto visa desenvolver hábitos alimentares saudáveis através do consumo de frutas pelas crianças desde cedo.

OBJETIVOS:

- Ampliar os conhecimentos sobre os tipos de alimentos;

- Estimular os bons hábitos alimentares ressaltando a importância de

uma alimentação variada;

- Identificar, cores, texturas, formas, quantidades;

- Ampliar o vocabulário.


ÁREAS:

Matemática, Artes, Linguagem Oral e Escrita, Natureza e Sociedade

JOGOS:

Memória de frutas, Jogos das letrinhas e quebra cabeça.

LINGUAGEM ORAL E ESCRITA:


Conversa em roda sobre a importância do consumo de frutas, a necessidade de higienizarmos os alimentos, alimentos prejudiciais a saúde quando, de onde vem a fruta que comemos, identificação e traçado das letras, explorar os nomes das frutas, etc.

LITERATURAS: O dia em que Deus criou todas as frutas, Sumaúma, O Rato do campo e o Rato da Cidade, Xisto e Xepa e Fruta é doce como Poesia.

BRINCADEIRAS:

Percepção visual: Esconder uma fruta e a criança deverá adivinhar

Olfativa: Tampar os olhos da criança ela deve adivinhar qual a fruta pelo olfato

Gustativa: Experimentar falando se é doce ou azeda, ou amarga.

MATEMÁTICA:

Contagem de quantas frutas recebemos de casa, quantas iguais, quantas

da mesma cor, formas das frutas, Associação número-quantidade; Comparação de quantidade e tamanho, Explorar os conceitos: grande, médio, pequeno, dentro e fora, quantidade: muito/ pouco, mais menos; - textura das frutas, etc.
EXPERIÊNCIAS:

Observação da transformação dos alimentos em outros sucos de frutas

Verificar quais as frutas que afundam na água.

NATUREZA E SOCIEDADE:

Sentidos, explorar tipos de plantas, seus sabores e suas cores dos tipos de frutas, o campo e o pomar.

ARTES:

Fazer maçã de garrafa pet- pintura com guache

Desenhos com interferência e sem.

Pintar rolos de papel higiênico para se transformar em tronco da árvore

Alinhavo

Massinha ou argila para modelar alimentos

MURAIS:

Cartaz com frutas que conhecemos antes do passeio e depois do passeio;

Saquinhos classificatórios com nomes: das frutas;

Cartaz com as coisas do campo e as coisas da cidade

A feira.

CULINÁRIA:

Salada de frutas, sucos e receitas enviadas pelas mamães.

PASSEIO:

Ao Supermercado


TRABALHO COM OS PAIS:

Participar mandando frutas e receitas onde a fruta tem participação especial.

PRODUTO FINAL:

Livrinho de receitas.

CONSTRUÇÃO: IRISVÂNIA NAQUE E PAULA RIBEIRO.

ARTE GRÁFICA: TALES MOUZINI.

Pense nisso... Pedro Bial

Tudo o que hoje preciso realmente saber, sobre como viver, o que fazer e como ser, eu aprendi no jardim de infância. A sabedoria não se encontrava no topo de um curso de pós-graduação, mas no montinho de areia da escola de todo dia.
Estas são as coisas que aprendi:

1. Compartilhe tudo;

2. Jogue dentro das regras;

3. Não bata nos outros;

4. Coloque as coisas de volta onde pegou;

5. Arrume sua bagunça;

6. Não pegue as coisas dos outros;

7. Peça desculpas quando machucar alguém; mas peça mesmo !!!

8. Lave as mãos antes de comer e agradeça a Deus antes de deitar;

9. Dê descarga; (esse é importante)

10. Biscoitos quentinhos e leite fazem bem para você;

11. Respeite o limite dos outros;

12. Leve uma vida equilibrada: aprenda um pouco, pense um pouco... desenhe... pinte... cante... dance... brinque... trabalhe um pouco todos os dias;

13. Tire uma soneca a tarde; (isso é muito bom)

14. Quando sair, cuidado com os carros;

15. Dê a mão e fique junto;

16. Repare nas maravilhas da vida;

17. O peixinho dourado, o hamster, o camundongo branco e até mesmo a sementinha no copinho plástico, todos morrem... nós também.
Pegue qualquer um desses itens, coloque-os em termos mais adultos e sofisticados e aplique-os à sua vida familiar, ao seu trabalho, ao seu governo, ao seu mundo e vai ver como ele é verdadeiro, claro e firme. Pense como o mundo seria melhor se todos nós, no mundo todo, tivéssemos biscoitos e leite todos os dias por volta das três da tarde e pudéssemos nos deitar com um cobertorzinho para uma soneca. Ou se todos os governos tivessem como regra básica, devolver as coisas ao lugar em que elas se encontravam e arrumassem a bagunça ao sair. Ao sair para o mundo é sempre melhor darmos as mãos e ficarmos juntos. É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os sentimentos não precisam de motivos nem os desejos de razão.

"O importante é aproveitar o momento e aprender sua duração, pois a vida está nos olhos de quem souber ver"...

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Parabéns Professor!!

Ser professor é professar a fé e a certeza de que

 tudo terá valido a pena se o aluno sentir-se feliz

pelo que aprendeu com você e pelo que ele lhe

ensinou..
.
Ser professor é consumir horas e horas

pensando em cada detalhe daquela aula que,

mesmo ocorrendo todos os dias, a cada dia é

única e original...

Ser professor é entrar cansado numa sala de aula

e, diante da reação da turma, transformar o

cansaço numa aventura maravilhosa de ensinar e

aprender...

Ser professor é importar-se com o outro numa

dimensão de quem cultiva uma planta muito rara

que necessita de atenção, amor e cuidado.

Ser professor é ter a capacidade de “sair de cena,

sem sair do espetáculo”.

Ser professor é apontar caminhos, mas deixar

que o aluno caminhe com os seus próprios pés...

Feliz dia dos Professores!

Aos educadores


O ilustre escritor brasileiro Augusto Cury enumera em seu livro intitulado Pais brilhantes, professores fascinantes, o que ele considera os sete pecados capitais dos educadores.

O primeiro deles é corrigir o educando publicamente.

Um educador jamais deveria expor o defeito de uma pessoa, por pior que ele seja, diante dos outros.

Um educador deve valorizar mais a pessoa que erra do que o erro da pessoa.

O segundo é expressar autoridade com agressividade.

Os educadores que impõem sua autoridade são aqueles que têm receio das suas próprias fragilidades.

Para que se tenha êxito na educação, é preciso considerar que o diálogo é uma ferramenta educacional insubstituível.

O terceiro é ser excessivamente crítico: obstruir a infância da criança.

Os fracos condenam, os fortes compreendem, os fracos julgam, os fortes perdoam. Os fracos impõem suas idéias à força, os fortes as expõem com afeto e segurança.

O quarto é punir quando estiver irado e colocar limites sem dar explicações.

A maturidade de uma pessoa é revelada pela forma inteligente com que ela corrige alguém. Jamais coloque limites sem dar explicações.

Para educar, use primeiro o silêncio e depois as idéias. Elogie o educando antes de corrigi-lo ou criticá-lo.

Diga o quanto ele é importante, antes de apontar-lhe o defeito. Ele acolherá melhor suas observações e o amará para sempre.

Quinto: ser impaciente e desistir de educar.

É preciso compreender que por trás de cada educando arredio, de cada jovem agressivo, há uma criança que precisa de afeto.

Todos queremos educar jovens dóceis, mas são os que nos frustram que testam nossa qualidade de educadores. São os filhos complicados que testam a grandeza do nosso amor.

O sexto, é não cumprir com a palavra.

As relações sociais são um contrato assinado no palco da vida. Não o quebre. Não dissimule suas reações. Seja honesto com os educandos. Cumpra o que prometer.

A confiança é um edifício difícil de ser construído, fácil de ser demolido e muito difícil de ser reconstruído.

Sétimo: destruir a esperança e os sonhos.

A maior falha que os educadores podem cometer é destruir a esperança e os sonhos dos jovens.

Sem esperança não há estradas, sem sonhos não há motivação para caminhar.

O mundo pode desabar sobre uma pessoa, ela pode ter perdido tudo na vida, mas, se tem esperança e sonhos, ela tem brilho nos olhos e alegria na alma.

* * *

Você que é pai, professor ou responsável pela educação de alguém, considere que há um mundo a ser descoberto dentro de cada criança e de cada jovem.

Só não consegue descobri-lo quem está encarcerado dentro do seu próprio mundo.

Lembre-se que a educação é a única ferramenta capaz de transformar o mundo para melhor, e que essa ferramenta está nas suas mãos.

Do seu uso adequado depende o presente e dependerá o futuro. O jovem é o presente e a criança é a esperança do porvir.

Pense nisso e faça valer a pena o seu título de educador. Eduque. Construa um mundo melhor. Plante no solo dos corações infanto-juvenis as flores da esperança.

Autor:
Redação do Momento Espírita, com base no livro Pais brilhantes, professores fascinantes, de Augusto Cury, ed. Sextante.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

O dia da Melancia...


Dando continuidade ao Projeto as Frutinhas do Mundinho, fizemos o dia da melancia de uma forma bem gostosa em nossa sala de aula, iniciamos com o livro paradidático " Fruta é doce igual Poesia", com a poesia da melancia, exploramos linguagem oral e linguagem escrita, percepção de cores e artes.
E claro não poderia ser diferente!!!! saboreamos uma deliciosa melancia que haviamos comprado em nosso passeio um dia anterior.

Projeto As frutinhas do mundinho



Nosso primeiro passeio ao supermercado para realizarmos a nossa aula de campo do Projeto as Frutinhas do Mundinho, onde iniciamos com sondagem do conhecimento prévio das crianças sobre as frutas, depois fizemos uma lista das frutas que eles mais conheciam antes do passeio e em seguida o Passeio para explorarmos os tipos de frutas, para ampliação do conhecimentos das mesmas pelas crianças, linguagem escrita, linguagem lógico metemática e ciencias naturais.

Este dia foi muito especial, todos nós nos divertimos muito tanto com o passeio quanto com as compras que fizemos. Após comprarmos as frutas seguimos para escola onde confeccionamos uma cesta de frutas para cada criança levar para casa de forma lúdica e divertida!!!!

Para dar de presentes e encantar!!!


Uma forma carinhosa, meiga e encantadora de presentear a quem você gosta com lindas bonecas de pano que mesmo sendo super modernas nos remetem as antigas brincadeiras de criança !!!!
Para melhores informações de comoadquirir é só deixar comentário com contato.

Bjosss

domingo, 12 de setembro de 2010

Para Trabalhar Números e Quantidades


Uma forma simples e fácil de trabalhar números e quantidades, associando imagem e escrita com crianças de 3 anos.

domingo, 5 de setembro de 2010

Um aforma divertida de Trabalhar formas Geométricas

Sabemos que as figuras geomátricas se fazem presentes na vidas de nossos alunos desde a educação infantil, mais trabalha-las de forma descontextualizada e de forma mecânica com nossos pequenos se torna enfadonho e a aula para os mesmos sem estímulo.
O dominó com formas geométricas para trabalhar em forma de jogo com os pequenos é uma otima alternativa, pois de forma lúdica e divertida os pequenos vão não só aprendendo as formas como também cores e desenvolvendo o pensamento lógico, sem que percebam tão exercício.
Este dominó pode ser encontrado na internet, e impresso. Após impresso é só cola em uma folha de cartão e emplástificar com durex largo ou plático contato e se divertir com seus alunos.

Criando um pensamento critico reflexivo em nossos alunos

Se faz muito importante estarmos a todo momento icentivando às nossas crianças a pensar e refletir sobre suas ações, as coisas que a cercam e principalmente sobre os novos objetos de estudos a que são apresentadas. Por isso novas práticas educativas devem está sempre presente em sala de aula, local onde definitivamente deve ser feito este incentivo, e que deve proporcionar aos alunos novas experiências e contato com o novo tornando-o assim um aluno criativo como nos orienta "Celso Antunes".
O trabalho com figuras que representem situações da vida cotidiana, realizando questionamentos como: O que vocês estão vendo? O que eles parecem estar sentindo? E por que? Para onde estão indo?, ou seja perguntas sempre questionadoras que os levem a ir além da imagem, usando assim a criatividade num pensamento reflexivo.
Esta figura foi extraida de um livro didático e colada em uma folha de filipinho, figuras de revistas e até mesmo da internet fica bacana para fazer este tipo de trabalho, que pode ser iniciado com crianças de 3 anos de idade, ou seja, na educação infantil.
Vale a pena tentar, você vai ver como eles gostam!!!!

domingo, 29 de agosto de 2010

Disciplos do Riso

Estamos vivendo em uma sociedade indivudualista e desumana, onde sentimos anseios de amor e ações voluntárias ao próximo. Nas ruas, nas esquinas e nos hospitais encontramos pessoas necessitando de uma palavra amiga ao até um simples olhar de carinho, é comprovado cientificamente que o amor e o carinho, além do apoio familiar têm em muito ajudado a pacientes de doenças sérias a se recuperar, a alegria faz com que liberemos endorfina ormônio que nos faz mandar informações ao nosso cérebro que estamos felizes !!!!
É pensando nisto que o GRUPO DISCÍPULOS DO RISO vem fazendo um trabalho voluntário no Hospital da FAP na ala da pediatria todos os sábados a tarde, com uma proposta educativa, social e religiosa eles têm alegrado a tarde de muitas crianças que nos seus ultimos dias ao até mesmo meses vivênciavam apenas dor e sofrimento.
Caso você se enteresse por este trabalho e queira colaborar com doações de brinquedos, livros paradidáticos, massinhas de modelar entre outros materiais educativos é só deixar aqui um comentário com seu contato, e em breve estarei postando a conta para que sejam feitas doações.
Abrace esta ideia faça uma criança SORRIR!!!! e faça de sua vida significativa através do amor ao próximo...
Bjos Íris Naque

Avental Arca de Noé

Arca de Noé

Este avental proporciona a você educador contar a históris da Arca de Noé de uma forma mais dinâmica e criativa, atraindo assim de vez atenção dos pequenos em sala de aula.

domingo, 22 de agosto de 2010

E você já se olhou no espelho?

Quem não gosta de se arrumar e olhar-se ao espelho? Já observou quantas vezes você se olha ao espelho durante seu dia? E quantos espelhos têm em sua casa?

Bom, garanto que você se pegou fazendo muitas contas!

Mais você de fato já olhou ao espelho de sua alma? O que você tem feito para deixar seu interior belo como você gosta de se ver ao espelho?

Passamos a maior parte de nosso tempo preocupados com a imagem que passamos às outras pessoas, cuidando da nossa aparência física, comprando roupas que estão sempre na moda e freqüentando os melhores lugares, a imagem passou a ser um dos focos principais dos homens e mulheres da sociedade nos últimos anos.

Procuramos sempre estarmos rodeados de pessoas belas aos nossos olhos e principalmente aos olhos dos outros, excluímos o que passa a ser feio perante a sociedade, criamos ao nosso redor um conto de fadas onde só existem príncipes e princesas e será que estamos mesmos satisfeitos com isso tudo?

Quando olhamos para trás o que encontramos em nosso caminho? Nossas atitudes têm agrado aos que conosco convivem?

Muito difícil esta análise, por que achamos sempre que estamos agindo corretamente, que nunca estamos errados e que muito menos contribuímos para uma atitude de reflexo daquelas pessoas que amamos, pois é nisto que devemos começar a pensar e refletir.

Somos constantemente espelhos durante nossa vida para nossos pais, filhos, amigos, alunos em fim para todos ao nosso redor, nossas atitudes são refletidas positiva e negativamente sempre, se você for um bom pai seu filho também será, pois ele irá reproduzir mesmo que involuntariamente tudo aquilo que um dia você fez com ele, o mesmo vale para uma mãe, se você quer que seus amigos sejam carinhosos, verdadeiros e sinceros para com você seja com eles, não proclame mais aquele velho ditado “faça o que eu digo e não faça o que eu faço” e sim deveríamos levantar a bandeira do “diga o que eu digo e faço como eu faço” só assim teríamos cidadãos mais dignos em nossa sociedade.

Preste sempre atenção se suas ações estão de acordo com o que você fala, muitas vezes é melhor demonstrar quem somos através de nossas atitudes do que por palavras, acredite não somos um produto a venda nas prateleiras de uma loja, não precisamos de um portfólio para anunciar quem somos, precisamos é caminhar sempre de acordo com os princípios em que acreditamos. As nossas crianças estão se tornando em mini adultos, em que na maioria das vezes passam a ser fúteis, impacientes, celetistas entre outras características que não fazem parte de um perfil infantil, por estarem reproduzindo o reflexo de uma sociedade que no momento encontra-se assim, dos seus pais e até mesmos educadores.

Portanto cuide do seu espelho! Melhore suas atitudes, pois elas no futuro poderão ser refletidas em sua vida, tudo aquilo que você fez ou faz cai sobre você um dia ou outro, nossa vida é uma via de mão dupla o que damos com uma mão recebemos com a outra sempre, passe a olhar daqui pra frente no espelho e ver o seu interior, seu passado e sua atitudes é muito bom deixarmos nosso ritmo por onde passamos de forma positiva. Seja belo e terá sempre o belo em sua vida; seja agradável e terá pessoas agradáveis em sua vida; seja amigo e terá muitos amigos para compartilhar as coisas boas da vida com você; seja um bom professor e terá no futuro alunos que lembrarão sempre de você e que irão reproduzir seus ensinamentos por onde passarem, pois um bom educador atinge seus objetivos quando seu aluno o supera; seja um bom pai e uma boa mãe e terá no futuro filhos que nunca irão lhe abandonar.

E para refletir mais um pouco veja esta mensagem de um autor desconhecido
 
O Espelho
Era uma vez, um homem que só via e realçava o mal em tudo o que fazia.


Um dia ele morreu e “partiu dessa para uma melhor”.

Só que do lado de lá havia um companheiro que não largava do seu pé, e o acompanhava o tempo todo.

Era um verdadeiro “mala”: egoísta, pessimista, mal-humorado, critiqueiro, mal-agradecido, e que só sentia-se bem quando estava mal.

O homem, não o suportando mais, foi a um anjo e implorou:

“Por favor, livra-me da companhia daquele sujeito, eu já não aguento mais…"
O anjo, entre admirado e compadecido, respondeu:
“Mas não há nenhum companheiro. Aqui só existe um sistema de espelhismo, que faz com que cada um veja e conviva com o que formou de si mesmo.

Depende somente de você libertar-se dele.”

Com carinho Íris Naque

Vale a Pena Ler!!!




Este livros mostra através do diálogo entre dois amigos fatos da vida cotidiana que acontece com qualquer ser nesta passagem, fala sobre os medos contemporâneos, sobre o medo da morte, da solidão, de amar entre outros.
Nela histórias maravilhosas fazem-nos refletir sobre nossas atitudes, nossas escolhas e sobre o que acaba acontecendo em nossa vida.
Recomendo este livro para pais, filhos, educadores ou seja para qualquer um deseje se tornar em um individou melhor que está desejando se compreender melhor e compreender aos outros que o cercam.

Boa leitura Íris Naque

RESPOSTA À REVISTA VEJA

Sou professora do Estado do Paraná e fiquei indignada com a reportagem da jornalista Roberta de Abreu Lima “Aula Cronometrada”. É com grande pesar que vejo quão distante estão seus argumentos sobre as causas do mau desempenho escolar com as VERDADEIRAS razões que geram este panorama desalentador.

Não há necessidade de cronômetros, nem de especialistas para diagnosticar as falhas da educação. Há necessidade de todos os que pensam que: “os professores é que são incapazes de atrair a atenção de alunos repletos de estímulos e inseridos na era digital” entrem numa sala de aula e observem a realidade brasileira. Que alunos são esses “repletos de estímulos” que muitas vezes não têm o que comer em suas casas quanto mais inseridos na era digital? Em que pais de famílias oriundas da pobreza trabalham tanto que não têm como acompanhar os filhos em suas atividades escolares, e pior em orientá-los para a vida? Isso sem falar nas famílias impregnadas pelas drogas e destruídas pela ignorância e violência, causas essas que infelizmente são trazidas para dentro da maioria das escolas brasileiras. Está na hora dos professores se rebelarem contra as acusações que lhes são impostas. Problemas da sociedade deverão ser resolvidos pela sociedade e não somente pela escola.

Não gosto de comparar épocas, mas quando penso na minha infância, onde pai e mãe, tios e avós estavam presentes e onde era inadmissível faltar com o respeito aos mais velhos, quanto mais aos professores e não cumprir as obrigações fossem escolares ou simplesmente caseiras, faço comparações com os alunos de hoje “repletos de estímulos”. Estímulos de quê? De passar o dia na rua, não fazer as tarefas, ficar em frente ao computador, alguns até altas horas da noite, (quando o têm), brincando no Orkut, ou o que é ainda pior envolvidos nas drogas. Sem disciplina seguem perdidos na vida. Realmente, nada está bom. Porque o que essas crianças e jovens procuram é amor, atenção, orientação e ...disciplina.

Rememorando, o que tínhamos nós, os mais velhos, há uns anos atrás de estímulos? Simplesmente: responsabilidade, esperança, alegria. Esperança que se estudássemos teríamos uma profissão, seríamos realizados na vida. Hoje os jovens constatam que se venderem drogas vão ganhar mais. Para quê o estudo? Por que numa época com tantos estímulos não vemos olhos brilhantes nos jovens? Quem, dos mais velhos, não lembra a emoção de somente brincar com os amigos, de ir aos piqueniques, subir em árvores? E, nas aulas, havia respeito, amor pela pátria.. Cantávamos o hino nacional diariamente, tínhamos aulas “chatas” só na lousa e sabíamos ler, escrever e fazer contas com fluência. Se não soubéssemos não iríamos para a 5ª. Série. Precisávamos passar pelo terrível, mas eficiente, exame de admissão. E tínhamos motivação para isso.

Hoje, professores “incapazes” dão aulas na lousa, levam filmes, trabalham com tecnologia, trazem livros de literatura juvenil para leitura em sala-de-aula (o que às vezes resulta em uma revolução), levam alunos à biblioteca e outros locais educativos (benza, Deus, só os mais corajosos!) e, algumas escolas públicas onde a renda dos pais comporta, até a passeios interessantes, planejados, minuciosamente, como ir ao Beto Carrero. E, mesmo, assim, a indisciplina está presente, nada está bom. Além disso, esses mesmos professores “incapazes” elaboram atividades escolares como provas, planejamentos, correções nos fins-de-semana, tudo sem remuneração;

Todos os profissionais têm direito a um intervalo que não é cronometrado quando estão cansados. Professores têm 10 m.de intervalo, onde tem que se escolher entre ir ao banheiro ou tomar às pressas o cafezinho. Todos os profissionais têm direito ao vale alimentação, professor tem que se sujeitar a um lanchinho, pago do próprio bolso, mesmo que trabalhe 40 h.semanais. E a saúde? É a única profissão que conheço que embora apresente atestado médico tem que repor as aulas. Plano de saúde? Muito precário. Há de se pensar, então, que são bem remunerados... Mera ilusão! Por isso, cada vez vemos menos profissionais nessa área, só permanecem os que realmente gostam de ensinar, os que estão aposentando-se estão perplexos com as mudanças havidas no ensino nos últimos tempos e os que aguardam uma chance de “cair fora”.Todos devem ter vocação para Madre Teresa de Calcutá, porque por mais que esforcem-se em ministrar boas aulas, ainda ouvem alunos chamá-los de “vaca”,”puta”, “gordos “, “velhos” entre outras coisas. Como isso é motivante e temos ainda que ter forças para motivar. Mas, ainda não é tão grave. Temos notícias, dia-a-dia, até de agressões a professores por alunos. Futuramente, esses mesmos alunos, talvez agridam seus pais e familiares.

Lembro de um artigo lido, na revista Veja, de Cláudio de Moura Castro, que dizia que um país sucumbe quando o grau de incivilidade de seus cidadãos ultrapassa um certo limite. E acho que esse grau já ultrapassou. Chega de passar alunos que não merecem. Assim, nunca vão saber porque devem estudar e comportar-se na sala de aula; se passam sem estudar mesmo, diante de tantas chances, e com indisciplina... E isso é um crime! Vão passando série após série, e não sabem escrever nem fazer contas simples. Depois a sociedade os exclui, porque não passa a mão na cabeça. Ela é cruel e eles já são adultos.

Por que os alunos do Japão estudam? Por que há cronômetros? Os professores são mais capacitados? Talvez, mas o mais importante é porque há disciplina. E é isso que precisamos e não de cronômetros. Lembrando: o professor estadual só percorre sua íngreme carreira mediante cursos, capacitações que são realizadas, preferencialmente aos sábados. Portanto, a grande maioria dos professores está constantemente estudando e aprimorando-se.

Em vez de cronômetros precisamos de carteiras escolares, livros, materiais, quadras-esportivas cobertas (um luxo para a grande maioria de nossas escolas), e de lousas, sim, em melhores condições e em maior quantidade. Existem muitos colégios nesse Brasil afora que nem cadeiras possuem para os alunos sentarem. E é essa a nossa realidade! E, precisamos, também, urgentemente de educação para que tudo que for fornecido ao aluno não seja destruído por ele mesmo

Em plena era digital, os professores ainda são obrigados a preencher os tais livros de chamada, à mão: sem erros, nem borrões (ô, coisa arcaica!), e ainda assim ouve-se falar em cronômetros. Francamente!!!

Passou da hora de todos abrirem os olhos e fazerem algo para evitar uma calamidade no país, futuramente. Os professores não são culpados de uma sociedade incivilizada e de banditismo, e finalmente, se os professores até agora não responderam a todas as acusações de serem despreparados e “incapazes” de prender a atenção do aluno com aulas motivadoras é porque não tiveram TEMPO. Responder a essa reportagem custou-me metade do meu domingo, e duas turmas sem as provas corrigidas.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Pessoas são como quebra-cabeças!

Na vida encontramos pessoas de todos os tipos em nosso caminho, pessoas que vão e que ficam, que deixam muitos ensinamentos já outras que não deixam nada, algumas que se tornam amores avassaladores e outras que pouco significaram, mais todas essas com certeza acabam modificando de alguma forma nossa vida, e principalmente nossa forma de ver e entender as pessoas.
No entanto passamos a vida toda procurando pessoas perfeitas, fáceis de conviver. Certo dia conversando com uma amiga de trabalho, num fim de tarde, em que acabávamos mais um dia de trabalho com nossos alunos, comentávamos sobre pessoas complicadas! Veja só, pessoas complicadas, difíceis de conviver, de trabalhar, de manter relacionamentos, em fim complicadas. E muito calmamente não só falei para ela, mais para outras colegas que estavam presente naquela sala, que não existem pessoas complicadas e sim pessoas que não são bem compreendidas, que estão em busca de alguém disposta a lhe escutar, que na verdade pessoas são como um quebra-cabeça!.
Ora quebra-cabeça, um brinquedo tão comum entre as crianças. E quem nunca teve um na vida? Mais quem falou que pessoas não são comuns em nossas vidas, não no mesmo sentido do brinquedo claro, pois essas são comuns, mas importantes. Já os quebra-cabeças, esses tem sido substituído por brinquedos mais belos, mais tecnológicos, com mais atrativos para aqueles dispostos a comprá-lo. Será que não estamos fazendo o mesmo em nossas vidas? E com as pessoas que por ela passam? Qual será o tipo de pessoas que estamos procurando para estarem ao nosso lado? Perguntas aparentemente simples não? Talvez, pois se pararmos um pouco e prestarmos atenção no nosso dia-a-dia acabamos fazendo o contrário do que pensamos, o contrario do que aprendemos em nossos lares e em nossas crenças seja ela qual forem. Culpa nossa? Ou da sociedade em que estamos inseridos? Estamos hoje em uma sociedade em que temos pouco tempo, tudo passa muito rápido, aquele tempinho que tínhamos quando crianças ou mesmo adolescente de montar um quebra-cabeça, já não temos mais, pois eles necessitam de concentração, empenho, criatividade, percepção, carinho com cada pecinha que o compõe e tempo! Esse fundamental.
Ora e as pessoas que chamamos de complicadas? Será que essas não necessitam das mesmas coisas? Muitas vezes nós é que colocamos as complicações em alguém que não queremos empregar nosso tempo, que por algum motivo não achamos necessária a presença em nossas e vidas, ou apenas não simpatizamos e por isso torna-se mais fácil e mais cômodo chamá-la apenas de complicada, quando na verdade somos nós que não estamos dispostos a montá-la como um quebra-cabeça, que só conseguimos ver quão era fácil ao terminar de montar. Na verdade essas pessoas estão apenas esperando uma pessoa que se proponha a montá-la, que a compreenda, uma pessoa que a escute, que sirva de companheira, e que principalmente viva com ela os bons e os maus momentos de uma vida, e tenha certeza que no dia que isto acontecer em sua vida, ela deixará de ser complicada.
Agradeço muito a essa minha amiga, pois pelo seu questionamento tive a oportunidade de refletir sobre as pessoas que passaram em minha vida e sobre a minha vida. A conclusão? Ora queridos não poderia ser diferente, sou um grande quebra-cabeça! Complicado para uns, fáceis para outros, como qualquer outra pessoa neste mundo. Sim, pois muitas vezes o que parece ser complicado para mim, não é para você ou para seu amigo, isto é muito relativo. Há quem prefira quebra-cabeças pequenos, outros preferem aqueles enormes de trezentas peças, outros os clássicos das historias que embalaram suas noites antes de dormir, como o da Cinderela, ou o que está na moda como o do Senhor dos Anéis, em fim, a gosto para tudo queridos. Já com as pessoas em nossas vidas existe afinidade, amizade, relação de carinho para que nos ponhamos dispostos a entendê-las.
Então façamos antes o exercício de montar primeiro o quebra-cabeça de nossas vidas, no intuito de descobrir se não existe nenhuma peça faltando, se está tudo em ordem, só assim teremos condições de nos conhecer melhor, e ao final descobrir o quanto somos belos mesmo com todas as nossas falhas, que somos únicos e que não existe outro igual. A partir daí poderemos entender melhor as pessoas que por nossas vidas passarem, lembrando sempre que você talvez já tenha sido um quebra-cabeça complicado na vida de alguém, portanto tenha o mesmo carinho e tempo para com estas o mesmo que você gostaria que tivessem com você.
Beijos Íris Naque.

domingo, 16 de maio de 2010

Bulling

Até quando iremos ter que conviver com este tipo de agressão psicológica e fisica em nossas escolas e salas de aulas, mais umavez um jovem perde sua vida em Porto Alegre vitima desta agressão, mais uma vez pais sofrem a perca de um filho por causa desta barbarie!!! será que isto não tem fim? O que será preciso para que possamos combater este tipo de violência nas escolas? Você educador já se perguntou sobre isto? Pois então façamos uma reflexão sobre o tema, e nos coloquemos no lugar deste jovens que sofrem agressões todos os dias, das familias que perderam seus filhos e até mesmo dos agressores, o que será que os levam a agredir e até mesmo matar colegas de classe por coisas na maioria das vezes fúteis. Família desestruturadas, desigualdades social, preconceito entre outras tem sido as causas apontadas por psicológos, educadores e estudiosos do Bulling, mas qual a forma de combater? como evitar? e como ajudar agredidos e agressores? estes têm sido os maiores questionamentos... É necessário que busquemos soloções mais efetivas urgentemente em busca de tentar evitar maiores frustrações e mortes de jovens inocentes em nossas escolas.

Cartaz dia das mães



Esta foi nossa construção em homenagem ao dias das mães... um momento de descontração, muitos picotes, colagens e pinturas!!!! tudo que toda criança gosta... desta forma expressamos o quão importantes são todas as mães na vida de seus filhos!!!
Mãe preciosa assim, o teu valor excede ao de rubisssssss, da tua boca intrução fiel, tão doce quanto o mel!!!!

:) bjossssssssssssssss

Regrinhas para sala de aula


Estas regrinhas estou aplicando desde o inicio do ano na minha sala de aula com crianças de 3 anos, a está funcionando, pois com a associação das imagens com as atividades a serem desenvolvidas e ordenadas no painel de feltro as crianças passam a ter noção de tempo e organização, facilitando assim os trabalhos em sala de aula. Vale a pena salientar que antes de serem ordenadas no painel, as figuras devem ser socializadas com as crianças, para que eles a entendam e contextualizem com facilidade.
Bom esta é mais uma dica... espero que gostemmmm bjosssssssssss!!! :)

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Novo Evento...




Evento super bacana que visa proporcionar aos alunos, professores e trabalhadores da educação básica e profissionalizante, seja da rede pública ou particular, momentos de fomentação, discursão e trocas de experiências na área de Empreendedorismo Social,é primordial que desenvolvamos em nossos alunos pró atividades sociais visando torná-los cidadãos compremetidos com questões de inclusão uma vez que vivemos em uma sociedade bem diversificada.

Venha participe... você educador !! traga seu aluno, será muito legal este momento de crescimento e descontração!

domingo, 9 de maio de 2010

Lembrancinha para mães

as mã
Para perfumar a vida da mamãe, uma lembrancinha simples e bela feita com palito de churrasco coberto com fitilho, florzinha de EVA, tule e sabonetes em formato de coração...

Lembrancinha para dia das Mães




Esta foi super fácil...
É um peso para porta, bem colorido feito de saco plastico com areia, TNT e feltro.
1º passo é encher o saco plastico com areia
2º passo é cobrir o saco plático com o TNT e amarrar com cordão
3º passo é colocar as florzinhas
4º passo cobrir com o feltro e amarrar finalizando com fita de cetim
E pronto ta feita a lembrancinha para presentear as mais belas flores de nossas vidas

Bjos espero que gostem!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Estudantes começam a receber 150 mil computadores portáteis

Começa nesta quinta-feira, 15, a distribuição do primeiro lote dos laptops educacionais do programa Um Computador por Aluno (UCA). Na primeira etapa serão distribuídas 33.765 máquinas para 85 escolas em 10 estados. Até o final do ano, o Ministério da Educação entregará 150 mil computadores portáteis para alunos de 300 escolas da rede pública de ensino.

A distribuição começa por Tiradentes (MG), um dos cinco municípios nos quais todas as escolas receberão o computador portátil. Serão beneficiadas seis escolas municipais e uma estadual que totalizam 1.172 alunos.

No município de Trindade a Escola Municipal Marília de Dirceu será uma das beneficiadas. Os computadores serão entregues para 240 alunos do primeiro ao quinto ano do ensino fundamental. A diretora Ana Cristina da Costa conta que os alunos estão empolgados com a novidade na sala de aula. “Nós acreditamos que vá melhorar muito o aprendizado, pois trazer a modernidade para dentro da sala de aula é um incentivo”.

A coordenadora pedagógica da escola, Flávia Aparecida Trindade, disse que os laptops serão uma ferramenta auxiliar para professores das diversas disciplinas. “É uma oportunidade que poucas pessoas têm e aqui, todos nossos alunos terão. O professor terá liberdade no planejamento de suas aulas com os computadores para explorar jogos educativos, softwares e realizar pesquisas com os estudantes”.

O prazo para a entrega do primeiro lote é o dia 13 de maio. Os equipamentos têm garantia de um ano. Cada laptop possui sistema de segurança. Caso fique muito tempo fora da escola, ele é desativado e só pode ser reativado se retornar à instituição. A forma como os alunos utilizarão os computadores portáteis será de acordo com o projeto pedagógico de cada escola.

O laptop educacional possui capacidade de armazenamento de 4 gigabytes, 512 megabytes de memória, tela de cristal líquido de sete polegadas, bateria com autonomia mínima de três horas e peso de 1,5 kg, além de ser equipado para rede sem fio para conexão de internet. O custo por equipamento é de R$ 550,00. O investimento total foi de R$ 82 milhões.

As escolas foram escolhidas pelas secretarias estaduais de educação e pela União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). O período de testes foi desenvolvido em cinco escolas nos estados do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, de São Paulo, Tocantins e no Distrito Federal.

Assessoria de Imprensa Seed/MEC


Fonte: MEC
Quinta-feira, 15 de abril de 2010 - 10:36

Pesquisar este blog